• Tatiane Isaia

A relação entre Competências Socioemocionais e resultados de vida

As discussões atuais acerca dos elementos epistemológicos e práticos que envolvem a Educação do Século 21 trazem à tona as premissas de Currículos escolares que precisam ser organizados em prol do desenvolvimento de Competências Socioemocionais.


Sendo assim, a Educação Básica atual, enquanto responsável pela formação formal e integral de crianças e jovens, precisa ser estruturada em proposições pedagógicas que tenham como escopo máximo o desenvolvimento de Competências Cognitivas e Socioemocionais.


Evidencias atuais, oriundas de estudos realizados mundialmente acerca da relevância das competências socioemocionais na formação integral dos sujeitos, demonstram a relação favorável entre as competências socioemocionais e resultados de vida.


O importante relatório da OCDE “Competências para o progresso social: o poder das competências socioemocionais” apresenta como destaque, a partir de dados estatísticos, que resultados favoráveis de aprendizado escolar, por exemplo, estão fortemente relacionados com a macro competência de Atingir Objetivos, uma vez que essa competência maior permite que os sujeitos desenvolvam as micro competências de autogestão e de abertura ao novo, que, por sua vez, estão fortemente relacionadas com a escolaridade final atingida por uma pessoa. Isso implica disser que há níveis escolares maiores entre os sujeitos quando esses desenvolvem as competências de autogestão (esforço, disciplina, perseverança) e abertura ao novo (curiosidade e imaginação).


O mesmo relatório apresenta, como evidência, que resultados favoráveis de bem-estar se dão quando os sujeitos desenvolvem a macro competência de Lidar com as Emoções e de Trabalhar em Grupo, uma vez que essas duas grandes competências socioemocionais implicam no desenvolvimento de micro competências que são fundamentais para uma vida mais harmônica, como as competências de resiliência emocional (a forma como lidamos com as nossas emoções, com as diversidades, com os sentimentos de tristeza, desapontamento e raiva) e de amabilidade/qualidade das relações (empatia, respeito ao outro e apreço pelas diferenças).


Portanto, se estamos preocupados em prepararmos sujeitos para que vivam plenamente e para que possam concretizar seus projetos de vida, precisamos ajudá-los a desenvolver as competências socioemocionais que os permitirão serem pessoas mais autônomas, responsáveis, protagonistas e plenamente realizadas.

64 visualizações