• Fátima Osmari Burin

O lúdico na Educação Infantil

Atualizado: Out 19

Como primeira etapa da Educação Básica, a Educação Infantil é o início e o fundamento do processo educacional. A entrada na creche ou na pré-escola significa, na maioria das vezes, a primeira separação das crianças dos seus vínculos afetivos familiares para se incorporarem a uma situação de socialização estruturada (BNCC, 2017).


Neste sentido, como aponta a Base Nacional Comum Curricular, a fase da educação infantil é um momento de descobertas e de interações, o brincar está sempre presente, pois é brincando que a criança entende o seu mundo, explora suas potencialidades, interage com o meio. A brincadeira oportuniza a imaginação e suas regras não são fechadas, sugerindo participação livre e descontraída, como propõe a ludicidade.


O autor Huizinga (1999), propõe no seu livro “Homo Ludens” a indicação de que o lúdico é tão necessário à natureza humana quanto o raciocínio (Homo Sapiens) e a fabricação de ferramentas (Homo Faber). Por isso, o termo Homo Ludens indica que o lúdico está na base do surgimento e desenvolvimento da civilização, e é substancial ao ser humano.


De acordo com Vygotsky (1987), brincando as crianças se desenvolvem, descobrem o seu papel na sociedade e seus limites, exploram o mundo e aprendem a realidade que vivem. Além do mais, a ludicidade desperta interesse das crianças porque inclui atividades que são realizadas com prazer e espontaneidade, e porque exploram o movimento corporal possibilitando a comunicação, interação e assim, a descobertas de potencialidades, das emoções e de habilidades.


Ainda, segundo Meneghetti (2014), o processo de individuação da criança começa com o corpo, enquanto resposta a um instinto de posse. A partir disso, “a criança apresenta-se como uma individuação que tem exigência de possuir, de obter” (MENEGHETTI, 2014, p. 181). O autor dirá ainda que a atividade lúdica “é importante e autêntica para a criança: é experiência realística de todo si mesmo”. (MENEGHETTI, 2014, p. 183).


É por meio do universo lúdico que a criança busca satisfazer-se, realizar seus desejos e explorar o mundo ao seu redor. Assim, torna-se fundamental proporcionar às crianças atividades que promovam e estimulem seu desenvolvimento integral, considerando os aspectos da linguagem, do cognitivo, afetivo, social e motor.


BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília. Congresso Nacional, 2017.

HUIZINGA, J. (1999). Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. Perspectiva: São Paulo.

MENEGHETTI, A. Pedagogia Ontopsicológica. 3. ed. Recanto Maestro: Ontopsicológica Editora Universitária, 2014.

VIGOTSKI, L.S. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1987.


#impareeducação

#lúdico #educaçãoinfantil

176 visualizações

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram