• Tatiane Peixoto Isaia

Como as Tecnologias Digitais auxiliam a “Personalização” no Ensino Híbrido

Atualizado: Abr 26

Como já sabemos, cada aluno apresenta conhecimentos prévios, interesses e habilidades diferentes. Na aula tradicional, esses fatores são praticamente ignorados e a metodologia de ensinar o conteúdo se torna a mesma para todos. O modelo de Ensino Híbrido tem o propósito de modificar essa realidade através da “personalização” do ensino. Nesse processo, as Tecnologias Digitais se tornam importantes facilitadoras.

Apesar de ser um termo que ganhou destaque em 2020, devido a pandemia da COVID-19, o Ensino Híbrido já é uma Abordagem bastante utilizada em países como, por exemplo, o Estados Unidos. No Brasil, o processo de implementação dessa abordagem ainda é lento, mas já é possível ver sua utilização, principalmente, em instituições de Ensino Superior.


O objetivo do Ensino Híbrido é permitir que todos os alunos adquiram o conhecimento de modo satisfatório e inclusivo. Para isso, ele considera as necessidades, dificuldades e evolução de cada educando, em busca de um ensino personalizado que facilite seu aprendizado. Portanto, as aulas deixam de ser expositivas, com apenas o professor transmitindo o conteúdo e passam a ser centradas no ensino do aprendiz.


A inserção das Tecnologias Digitais nesse contexto tem o propósito de facilitar o processo de “personalização” da aprendizagem, pois através delas é possível adequar tempo, percurso, ritmo e/ou espaço do aluno. O primeiro passo para incorporar essas ferramentas em sala de aula é pensar nos objetivos e benefícios do uso delas. Não basta apenas permitir que os alunos tenham acesso a um computador. Se não houver clareza no propósito daquele instrumento estar sendo usado, a tecnologia estará apenas à serviço de uma aula expositiva, não personalizada.


É importante que o professor se aproprie de todos os benefícios que a inserção digital traz ao ambiente escolar. O principal deles é a possibilidade de identificar as dificuldades e facilidades dos alunos e acompanhar seu desenvolvimento através de dados gerados com o uso de determinadas plataformas. Essas informações servem de apoio para as decisões pedagógicas e a criação de estratégias personalizadas para que o educando alcance seus objetivos. Dessa forma, o educador consegue ter uma visão individual de cada aluno, acompanhando seu ritmo e avanço à medida que ele for evoluindo. Com isso, é possível agir com maior eficiência e rapidez nas necessidades de aprendizado.


A implementação de Tecnologias Digitais como parte do processo de “personalização” do ensino resulta também em uma mudança de postura dos próprios estudantes. Como o ritmo de estudo não é mais ditado pelo professor, mas sim pelo próprio aluno, esse não sente mais a frustração de, por exemplo, não conseguir acompanhar determinado conteúdo. Pelo contrário, nota-se que os educandos ficam mais motivados, participativos e comprometidos, pois durante esse processo é desenvolvido neles o senso de autonomia. Cada um se torna responsável pelo seu aprendizado e é incentivado a dividir suas experiências com os colegas. Não se trata mais de um ambiente em que ele apenas senta e recebe as informações pelo professor, agora ele deve ir em busca desses saberes e o papel do educador é mediar esse processo.


Portanto, podemos observar que a personalização acontece nos diferentes espaços escolares. Não basta apenas inserir as tecnologias em sala de aula, mas é necessário repensar o papel do aluno e do professor com o uso desses recursos. Elas são instrumentos valiosos para a Educação do Século 21, desde que usadas visando a aprendizagem dos estudantes e não apenas servindo para transmitir informações.


Quer saber mais sobre o Ensino Híbrido? Confira nosso curso completo: https://contato.site/a1c2cdd83c/cursos-on-line/ensino-hibrido


#ImpareEducação #EnsinoHíbrido #TecnologiasDigitais #Personalização #Ensino