• Impare Educação

As interações e a brincadeira no processo de aprendizagem na Educação Infantil

Ao considerarmos o contexto da Educação Infantil e como se desenvolvem as aprendizagens, temos que ter em vista os dois eixos estruturantes das práticas pedagógicas, propostos pelas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI) e pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC): as interações e a brincadeira. Nesse sentido, é necessário entender que a criança deve ser o centro do planejamento, ocupando papel ativo na construção de seus conhecimentos, e que através das experiências e relações cotidianas se constitui como sujeito.


Deste modo, salienta-se a importância da brincadeira no processo de aprendizagem dos sujeitos nesta primeira etapa da Educação Básica. “Enquanto brinca, o aluno amplia sua capacidade corporal, sua consciência do outro, a percepção de si mesmo como um ser social, a percepção do espaço que o cerca e de como pode explorá-lo” (SMOLE; DINIZ; CÂNDIDO, 2000, p. 13). É por meio desse momento de entretenimento que surgem situações desafiadoras, as quais as crianças fazem de tudo para superá-las/enfrentá-las, proporcionando o desenvolvimento de habilidades e competências.


Além disso, percebe-se clara relação entre esses eixos estruturantes e os objetivos de aprendizagem e desenvolvimento indicados na BNCC para a Educação Infantil, uma vez que abordam as questões que constituem o Eu, explorando as relações inter e intrapessoais. Para alguns autores, como Wallon, o pensamento da criança pequena é consequência da interação física com o meio no qual está inserida.


Por não conseguir “explicar” a própria lógica com palavras, os movimentos, considerados comunicativos e representativos de uma linguagem, os quais proporcionam ao sujeito aprender a interpretar os fatos cotidianos já nos primeiros anos de vida, permitem a criança se expressar perante as pessoas. Sendo assim, percebe-se que as interações e a brincadeira são trabalhadas conjuntamente. São eixos interdependentes e que quando abordados adequadamente propiciam aprendizagens significativas e prazerosas. As interações e a brincadeira são tão importantes para as crianças quanto o trabalho é para o adulto.


Referência:


SMOLE, Kátia Stocco (org.); DINIZ, Maria Ignez; CÂNDIDO, Patrícia. Brincadeiras infantis nas aulas de matemática. Porto Alegre: Artmed, 2000.


#processodeaprendizagem

#educaçãoinfantil

0 visualização

Siga-nos nas redes sociais!

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram